PM emite nota de repúdio a comentário de Igor Kannário: “Inaceitável”

Pn Noticias

(FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM)

O cantor e deputado Igor Kannário causou polêmica nesta segunda-feira (24) de Carnaval. Durante o desfile do seu trio independente no circuito Dodô (Campo Grande), o artista pediu vaia para a Polícia Militar da Bahia. De acordo com o cantor, ele teria visto de cima do trio a PM passando com agressividade para desfazer uma rodinha em meio aos foliões.

“Peço à imprensa, filma isso aí. Isso é abuso de poder, abuso de autoridade. Quero uma vaia para a Polícia Militar da Bahia”, afirmou, sendo atendido. Os foliões vaiaram e depois gritaram “Uh, é o Kannário”.

O artista continuou provocando: “Agressores, agressores! Venha me bater aqui em cima. Quero ver!”. Em seguida ele voltou a cantar a música “Embrazando” e logo a frente disse: “Se acontecer alguma coisa comigo, quem mandou me matar foi alguém da Polícia Militar”, acrescentou

Em outro momento Kannário voltou a provocar os policiais pedindo aos foliões para abrirem espaço. “Abre aí para esses bunda-mole passarem. Depois dizem que Kannario procura confusão com a polícia. Não é isso não. É certo pelo certo. Quem tá errado tá errado”, disse.

Mais a diante o artista faz novo comentário sobre a PM: “Essa guarnição aqui tem educação. Parabéns! Tá fazendo o certo. Pedindo licença. Quem eu vê agredindo eu vou falar daqui de cima mesmo”.

A Polícia Militar da Bahia enviou uma nota de repúdio à atitude do deputado. “É inaceitável que qualquer pessoa, ainda mais um parlamentar, tente comprometer a honra da instituição e de policiais militares que estão comprometidos e empenhados na defesa da sociedade baiana”, diz a nota.

Confira nota completa

A Polícia Militar da Bahia repudia as provocações e agressões feitas à tropa pelo Igor Kannário durante a passagem do trio na tarde desta segunda-feira (24), no Campo Grande. Além da atitude irresponsável e criminosa o também deputado federal incitou os foliões contra os policiais militares que faziam o policiamento do circuito Osmar.

É inaceitável que qualquer pessoa, ainda mais um parlamentar, tente comprometer a honra da instituição e de policiais militares que estão comprometidos e empenhados na defesa da sociedade baiana.
Todas as medidas judiciais cabíveis que o caso requer serão adotadas.