Xanddy tem cachê penhorado na Justiça para pagar dívida, diz site

Fonte site Notícias da Tv

(Foto: Reprodução/Instagram)

Xanddy, líder do grupo Harmonia do Samba, teve os cachês de seus shows penhorados na Justiça para pagar uma dívida de mais de 5 milhões. O cantor de 40 anos e sua mulher, Carla Perez, respondem processo movido pela empresa South América Serviços e Assessoria Logística, desde 2005, por conta da falta de pagamento da cessão de direitos de uma mansão na Bahia. As informações foram divulgadas pelo sites Notícias da TV.O processo está correndo na 1ª Vara de Feitos de Relativos às Relações de Consumo, Cível e Comerciais, na Comarca de Lauro de Freitas, na Bahia. Na semana passada, a defesa da empresa pediu a penhora dos cachês de Xanddy referentes a uma live realizada no YouTube, e também de um show que estava marcado para o mês de maio, e que foi negociado antes da pandemia do novo coronavírus.O Notícias da TV informa que o advogado Mohamad Fahad Hassam, responsável por representar a South América no processo, confirmou a decisão favorável para o seu cliente. O advogado conta também que o imbróglio com Xanddy teve início em 2003, quando a empresa negociou com o cantor e com Carla Perez a cessão de direitos de uma mansão no município de Lauro de Freitas, na Bahia. O casal deveria pagar o valor de R$ 700 mil em cinco parcelas na época.O Notícias da TV também entrou em contato com a assessoria de imprensa de Xanddy e Carla, que por sua vez, enviou um comunicado assinado por Leandro Neves, advogado dos cantores. “Como já falamos anteriormente, ingressamos com ação criminal contra a South América por estelionato e estamos recorrendo no Tribunal de Justiça. O processo está em recurso e confiamos na Justiça e que essa situação será brevemente solucionada”, diz a nota.Hassan, advogado da South América no caso, diz que a empresa que ele representa, porém, não recebeu nenhuma notificação em relação a “ação criminal”. Sobre o estelionato, ele diz que essa foi a tentativa de defesa da dupla durante o andamento da ação em 2019. Ele diz que o casal argumentou que a South América não tinha a escritura do imóvel em seu nome, portanto, não poderiam efetuar a venda em si.

Por fim, Hassan diz que a South América adquiriu os direitos da mansão com os proprietários aguardando a regularização de uma questão referente ao condomínio. Quando isso fosse feito, a empresa teria a escritura. No entanto, Xanddy e Carla desejaram a compra do imóvel antes desse fato acontecer.