Luiz Caldas crítica Neto por declaração e ele responde que não se referia à classe artística

a tarde

por Instagram

Uma declaração atribuída ao prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), de que artistas baianos estariam com “inveja” dos cantores apontados para o Show da Virada, no Forte São Marcelo, deixou o cantor Luiz Caldas indignado.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Luiz Caldas, que no ano passado completou 50 anos de carreira, pediu que o democrata respeitasse a história da axé music e a contribuição dada pelo gênero para a cultura baiana.

Luiz Caldas disse que o sentimento é de indignação e que a classe artística merece respeito. “Temos a nossa profissão e temos nossos conhecimentos. Tenho me esforçado e estudado bastante para desenvolver melhor o trabalho e se deparar com depreciações desse tipo é no mínimo absurdo”, afirmou.

A declaração de Neto teria sido dada após ter sido indagado por jornalistas sobre a razão de Gusttavo Lima se apresentar na festa da virada deste ano em detrimento à alguma atração baiana.

“É ‘dor de cotovelo’, o resto é inveja das pessoas que pensam pequeno e torcem contra Salvador. Nós vamos ter o maior Réveillon do Brasil, que vai ser acompanhado no mundo inteiro. Eu repito: façam as contas para ver o quanto isso representa em termos de promoção para cidade, estamos falando de economia”, disse Neto.

Nesta quinta-feira, 3 ao ser indagado sobre o vídeo de Luiz Caldas, Neto afirmou: “Alguns de vocês estiveram aqui quando eu fiz a entrega das ambulâncias. Em momento algum falei de quaisquer artista com alguma ‘dor de cotovelo’. Vi a postagem de Luiz Caldas, que inclusive deveria se informar melhor antes das declarações. Quero acreditar que disseram alguma coisa ao Luiz, e por isso ele deve ter falado sem saber”, disparou.

Neto também disse que a gestão procura viabilizar caminhos para o meio artístico e cultural de Salvador. “Se tem alguém que valorizou a cultura e a música baiana, durante esses oito anos, essa pessoa sou eu. Tomei a decisão de contratar somente artistas baianos para o Carnaval. Criamos o ‘Festival da Virada’ pra dar espaço aos artistas baianos tocarem. No nosso calendário incuímos do pequeno ao maior artista, reiterou”.