Após ofender antropóloga, Antonia Fontenelle vira alvo de processo criminal

Istoé

(Foto:Reprodução/instagram)

Antonia Fontenelle se meteu em mais uma polêmica. Segundo informações do colunista Ancelmo Gois no Jornal O Globo, a apresentadora virou alvo de um processo criminal após ofender a antropóloga Débora Diniz.

A pesquisadora abriu uma queixa-crime contra a loira no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, devido ter sido acusá-la por Fontenelle de defender pedófilos, pedofilia e o aborto.

Assim como o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, Antonia reproduziu o discurso do chefe de Estado e reforçou a sua teoria em entrevistas.

No dia 4 de fevereiro, Diniz comentou sobre as prioridades de Bolsonaro e escreveu: “A pauta prioritária de Bolsonaro no Congresso Nacional tem de arma em casa e na rua para mais gente; crianças em ensino domiciliar; perseguição a pedófilos; vantagens para agronegócios até perseguição aos povos indígenas. A perversidade parece complexa, mas não é. Segue a mesma lógica paranoica do patriarca que amplifica o medo para justificar a truculência. Por isso armas e pedófilos estão na mesma agenda: o patriarca espalha o pânico para justificar seu abuso de poder. Inclusive de ser ele mesmo um violentador sexual de crianças ou mulheres”, concluiu a pesquisadora.

André Perecmanis, advogado de Débora, entrou com uma ação na justiça em que pede a condenação da artista pelos crimes de difamação e injúria, além de indenização em dinheiro.