Felipe Neto é intimado a depor por chamar Bolsonaro de genocida

tv prime

(Foto:Reprodução/Instagram)

Nesta segunda-feira (15), o youtuber e influencer digital, Felipe Neto, compartilhou uma imagem, que é a reprodução de um documento de intimação. O documento foi expedido pelo delegado Pablo Sartori, titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI).
A Polícia Civil do Rio de Janeiro, intimou o youtuber, para prestar esclarecimentos de supostamente ter cometido crime, que está previsto na Lei de Segurança Nacional. Felipe Neto afirmou que a intimação ocorreu logo após chamar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida, pela forma que o chefe do executivo está guiando o país durante a pandemia causada pelo coronavírus.
Para o influencer digital, o fato ocorrido não passa de apenas uma tentativa de silenciamento, ele ainda continuou defendendo sua opinião sobre Bolsonaro ser um genocida, pois não há nenhum plano de controle para frear o avanço da pandemia no Brasil e há uma clara ausência de política de saúde pública.
O delegado que intimou o youtuber, foi o mesmo que em 2020 já havia indiciado Felipe Neto por corrupção de menores. O delegado Pablo Sartori justificou o procedimento afirmando que, de acordo com o Supremo Tribunal Federal, ofender autoridades do país configura crime contra a segurança nacional.
Entretanto, a iniciativa não partiu do delegado, a Polícia Civil, em nota, esclareceu que a notificação partiu de Carlos Bolsonaro, filho do presidente. A assessoria de imprensa do influencer digital diz ter tomado conhecimento do caso e informou que já está adotando todas as medidas jurídicas cabíveis.
O delegado, Pablo Sartori, afirmou que após o youtuber ser ouvido, o caso será encaminhado a Justiça.