Morre aos 50 anos o rapper americano DMX

Istoé

por instagram

O rapper americano DMX morreu nesta sexta-feira (9) aos 50 anos em um hospital nos arredores de Nova York, onde estava em estado crítico há uma semana, informou o advogado do artista à AFP.

O músico, cujo nome verdadeiro era Earl Simmons, uma das grandes figuras do hip-hop do final dos anos 90 e início dos anos 2000, havia sido hospitalizado na sexta-feira passada no hospital White Plains, ao norte de Nova York, após sofrer um ataque cardíaco.

Seu advogado, Murray Richman, disse à AFP que ele morreu por volta das 11 horas da manhã, enquanto a família divulgou um comunicado que foi amplamente compartilhado nas redes sociais.

“Earl foi um guerreiro que lutou até o fim”, diz o comunicado, que especifica que o artista faleceu cercado das pessoas que amava.

“Amava sua família com todo o seu coração e nós valorizamos os momentos que passamos com ele”, diz o comunicado. “A música de Earl inspirou vários fãs em todo o mundo e seu legado icônico viverá para sempre”.

A família disse que em breve anunciaria informações sobre o funeral.

O rapper, que reinou no final da década de 1990 e início da de 2000 com sucessos como “X Gon’ Give It To Ya” e “Party Up”, foi uma das estrelas mais conhecidas do hip-hop, expondo seus problemas internos às massas em músicas fortes e contundentes que lhe renderam o reconhecimento comercial e da crítica.

Criado no subúrbio nova-iorquino de Yonkers, o artista teve uma infância precária e de abusos junto à sua mãe e seus irmãos.

Aos 14 anos se envolveu em uma espiral de prisões que persistiu por toda a sua vida, cometendo roubos que o levavam frequentemente para a prisão.