Denunciado pelo MP por intolerância religiosa, Latino pede desculpas: ‘Jamais tive a intenção’

Istoé

(Foto:Reprodução/Instagram)

Latino está envolvido numa verdadeira polêmica. Após ter uma fala preconceituosa em entrevista ao “Flow Podcast” e dizer ‘Merda de macumbaria’, ao ser questionado na atração sobre a morte de seu macaco Twelves, que faleceu após ser atropelado, se referindo ao episódio que ocorreu por um trabalho de macumba, o cantor foi denunciado pelo Ministério Público pelo crime de intolerância religiosa.

O deputado estadual pelo Rio de Janeiro, Átila Nunes (MDB), abriu a denúncia contra Latino. Para a coluna de Fábia Oliveira, do jornal O Dia, o político falou sobre o caso. “Denunciei o cantor Latino ao Ministério Público por escarnecer publicamente de culto religioso, crime previsto no artigo 208 do Código Penal, agravado por ter sido em veículo de comunicação. Pedirei à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Segurança (DECRADI) que abra um inquérito e convoque o cantor para confirmar suas declarações preconceituosas no podcast Flow. Latino mostrou seu lado intolerante no aspecto religioso e deve responder pelas ofensas aos praticantes da Umbanda e do Candomblé, que não têm qualquer culpa pela decadência da carreira dele”, informou.

Na sabatina, o artista fez a seguinte declaração: “Dizem que foi macumba, né. Os caras falaram que foi macumba. Fizeram um trabalho pra mim que o macaco foi no meu lugar. Quem conhece o mundo espiritual pode dizer melhor. O macaco nunca saía de casa, tomava café comigo. Ele tinha uma vida como se fosse filho”, continuou. Além disso, afirmou que sofreu muito com a sua partida e cancelou shows de duas semanas. “Pode ser qualquer bicho que tenha um apego muito grande a você. Nessa parada de centro espírita, nesse bagulho aí de macumba, os caras fazem trabalhos pesados pra infernizar a vida do outro.